O quinto ano de vida do Henrique!!!!!

O quinto ano de vida do Henrique!!!!!

Em setembro de 2011, o príncipe completava 4 aninhos!

As terapias começavam a fazer efeito, as birras diminuíam consideravelmente e Henrique procurava interagir mais, porém mais com adultos.

Na escola, os problemas continuavam, ele não se adaptava a nova professora e a psicopedagoga nos chamou para uma conversa no fim do ano!

Fomos “gentilmente” convidados a retirar nosso filho da escola, com a justificativa de que a escola não estaria preparada para acolher nosso filho! Não estava preparada e nem disposta a se preparar.

Essa foi a primeira rejeição que passamos por conta de um provável diagnóstico!

Então começou uma peregrinação em busca de uma nova escola! Pedia indicação de conhecidos! E um medo enorme de nenhuma escola aceitar o Henrique.

A primeira escola que visitei, me recebeu com todo carinho! Tinha sim vaga para o meu filho! Muita pompa e circunstância!! Ate!!….

Até eu dizer que Henrique tinha autismo!! ou melhor suspeita de ter autismo!

Aí pronto! De repente não tinha mais vaga, as portas se fecharam!

Passei os meses de dezembro de 2011 e janeiro de 2012, procurando vaga. Já saia de casa angustiada e nervosa, com a pasta de documentos na mão. Muitas vezes já chegava na porta das escolas chorando!

Não podia desabafar com ninguém, por que quase ninguém sabia das suspeitas de diagnóstico do Henrique!

Minha cunhada, pesquisou e me indicou a escola Montessori 21! E lá eu fui! Já meio sem esperança! Fui recebida pela psicopedagoga da Escola, a Rosa, já estava em prantos. Ela me acolheu! E disse que eu levasse o Henrique para uma visita na escola.

E assim fizemos, ele se apaixonou pela escola e todos que o receberam se apaixonaram por ele.Ficavam admirados com a inteligência dele. Então, o matriculei!

Mal posso descrever o meu alívio e felicidade! Meu filho não ficaria sem estudar!

Então, em 2012 ele começou a estudar na nova escola! Sua professora era muito boa e muito firme com ele. O bem estar dele no Montessori 21 era visível. Evoluiu muito com a tia Edna, pois ela tinha total controle de todas as situações em sala de aula! E fora da sala de aula, as colaboradoras da escola o tratavam com muito carinho.

Nesta mesma época, a neuropediatra do Henrique indicou medicação e sessões de psicologia.

A primeira medicação utilizada foi o Tegretol! Pois ele não estava conseguindo se concentrar em sala de aula! Perdia o interesse rápido pelas atividades.

Porém, o Tegretol o deixou agressivo, coisa que ele nunca foi! Então pedi que a médica suspendesse!

Quanto à psicologia, passei vários meses procurando psicóloga que atendesse crianças da idade dele e que aceitasse convênio, já que não tínhamos condições de pagar sessões particulares semanalmente.

Então substituímos a medicação pela Risperidona manipulada, em baixa dosagem, somente para melhorar a concentração.

E quando finalmente encontramos a psicóloga, Dra. Ivana Peixoto, ele iniciou as sessões de psicoterapia.

Tudo começava a entrar nos eixos, com a graça de Deus!

Meu coração começava a se conformar e aceitar!

 

 

O quarto ano de vida do Henrique! (PARTE I)

O quarto ano de vida do Henrique! (PARTE I)

O Henrique fez 3 aninhos em setembro de 2010, nessa época ele era bem tranquilo e percebíamos apenas alguns episódios de crises e birras, por exemplo no carnaval deste ano fizemos uma viagem para o interior do estado de carro, viajamos para Marudá com a minha família e a família de meu esposo para passar o feriado de carnaval, foram mais ou menos 4 horas de viagem, durante a viagem tudo correu normalmente, mas quando chegamos na casa que ficaríamos hospedados, o Henrique teve uma crise de choro terrível, jogou comida, parecia que não iria parar de chorar nunca mais! Em dezembro deste mesmo ano, 2010, viajamos com ele de avião para Altamira, era sua primeira viagem de avião, a ida foi tranquila, pois ele dormiu a viagem toda! Mas a volta!!!!!!

Ah!! A volta, quase enlouqueço, voltei com ele sozinha, pois meu esposo ficou trabalhando. O Henrique não parava quieto dentro deste avião e não deixava ninguém sossegar, quase apanho das comissárias, porque ele não parava de apertar aquelas luzinhas para chamá-las…enfim!! Um sufoco!!!

Mas como esses episódios eram casos isolados!! Achávamos que estava tudo dentro da normalidade!

Em 2011, ele permaneceu na escola Sagrado Coração de Jesus, fazendo o Jardim I, ele já lia bem e aprendia muito rápido. Nessa época já havíamos começado as consultas com a neuropediatra, Dra. Tânia Jenings, por indicação da otorrino.

Foi uma fase difícil, não contamos pra quase ninguém das suspeitas de diagnóstico. Na escola, a professora era excelente, e logo percebeu que havia algo errado com o Henrique.Professora maravilhosa e muito preparada, tanto ela, quanto sua auxiliar.

Tive uma conversa com ela, e claro aos prantos, expliquei tudo. Um anjo na vida do Henrique! O tratava com um carinho comovente!

Então, Henrique estava bem na escola e já fazia seções de Terapia ocupacional e Fonoaudiologia. Nesta época também, começou a colecionar escovas de dente.

Tudo ia bem, na medida do possível!

Mas eu! eu….

Ainda tinha esperança de o diagnóstico ser de super dotação!!! Afinal! Quem não se orgulha de dizer que o filho é mega inteligente!!

E o Henrique é mega inteligente!!!!

Mas o peso da palavra ” Autismo” é imenso!!!

 

 

Então 2017 chegou!!!!!

Então 2017 chegou!!!!!

happy-new-year-beach-replace-lettering-78643255

Depois de muito tempo sem postar nada, volto pra desejar a todos muitas alegrias neste novo ano!!

Estava sem postar nada por pura falta de tempo, mas a vontade e as idéias eram muitas. Infelizmente não consegui…

Enfim,…

Espero que em 2017 eu tenha mais tempo de escrever e fazer relatos, principalmente relacionados ao autismo e minhas experiências com o Henrique.

Então vamos lá!!! Viver um novo ano!!!

Espero poder ajudar mais, famílias e principalmente mamães aflitas…

Muita fé em Deus! E beijo a todos!

Dicas caseiras de limpeza doméstica!

Dicas caseiras de limpeza doméstica!

imagem-limpeza

 

Olá!!

Como toda mulherzinha, adoro cuidar da minha minha casa e deixá-la bem limpinha e cheirosinha! Então neste post vou compartilhar algumas dicas e macetes que pesquisei e testei na minha casa e sei que dá super certo!

São dicas bem caseiras, que podemos utilizar coisas e produtos que já temos em casa, sem precisar sair pra comprar alguma coisa.

Então vamos lá!

Os principais produtos utilizados na maioria das receitas e dicas são o vinagre, o álcool, o bicarbonato de sódio e a água sanitária.

1- Limpar rejunte do piso ou parede: 7 xícaras de água, 1/2 xícara de bicarbonato de sódio, 1/3 da xícara de suco de limão e 1/4 da xícara de vinagre, fazendo uma solução e colocando em um borrifador, aplicar na área e aguardar uns 10 minutos.Depois limpar normalmente com uma escovinha ou escovão! Se o sujo não for muito antigo, só o vinagre com bicarbonato dá certo. (DÁ MEGA CERTO!)

2- Limpar vidros: Misturar 250 ml de vinagre, 250 ml de álcool e uma colher de detergente.Limpar a superfície de vidro com essa mistura e uma esponja! Fica limpíssimo!

3- Limpar mancha de mofo no forro de gesso: Misturar um litro de água e 1 litro de água sanitária.

4- Tirar sujo do sofá : água gelada e vinagre, na proporção 1:1, e se for mancha de sangue, aplicar água oxigenada, deixar uns minutos e esfregar. Depois que o sofá tiver limpo, se vc quiser que ele fique cheirosinho, é só misturar água, álcool e amaciante preferido. Molhar uma escovinha com essa mistura, tirando o excesso e passando no sofá. Deixar secar um pouco antes de sentar.

5- Limpar ferro de passar: esfregar com água e vinagre.

6- Tirar ferrugem de objetos: Lavar com Coca-Cola e esfregar papel alumínio.

E tem também uns truquinhos que as vezes faço, pra evitar algumas coisas dessgradáveis como odor ruim, por exemplo. Na geladeira dá pra colocar um pires com um pouco de bicarbonato, e com o mesmo bicarbonato esfregar a tábua de cortar pra tirar o odor e se misturar água com o “santo” bicarbonato e borrifar na lixeira funciona muito.

Outra coisa que faço pra evitar mofo nos armários e guarda-roupas é deixar uma pedra giz em cada compartimento.Enfim, dicas que facilitam e muito nosso dia a dia de dona de casa.

Espero ter ajudado de alguma forma!

Bjusss!!!

O terceiro ano de vida do Henrique

O terceiro ano de vida do Henrique

Henrique fez dois anos de idade em 20 de setembro de 2009, e em fevereiro de 2010 ele começou a estudar. Nossa!!! Toda aquela ansiedade e euforia, misturada com alegria e medo de deixar nosso príncipe uma manhã inteira longe de nós!!

A primeira escola do Henrique foi a Escola Sagrado Coração de Jesus, uma escola católica, bem próxima onde nós morávamos! E sua primeira professora foi a tia Joyane!

A primeira semana foi tranquila, ficávamos na escola escondidos, porque se ele chorasse muito ou sentisse muita saudade! Enfim! semana de adaptação.

Foi um ano de muita corujice! Participamos de todos os eventos da escola!!

O Henrique sempre muito fofo, carinhoso e quietinho!!!

Acompanhava todas as atividades, e acompanha até hoje.

Em meados de 2010, a professora nos sinalizou que observássemos, pois ela desconfiava que o Henrique já conhecia algumas palavras.

Já havíamos observado que quando passávamos de carro pela rua, ele falava o que estava escrito em outdoors. Mas pensamos que ele podia estar decorando da televisão.

A única criança da família era ele, e o único contato que ele tinha com outras crianças, era na escola. Então não estranhávamos quando ele preferia brincar sozinho.

Nessa época, quando os coleguinhas da escola interagiam com ele, ele correspondia.

Como é uma escola católica, haviam muitos eventos dentro da capela, com música, e muitos eventos na quadra também, geralmente com muito barulho. O Henrique começou a dar sinais de desconforto nestas situações. Porém, achávamos normal, porque muitas crianças apresentavam o mesmo comportamento.

Começamos também a observar que nosso anjinho, apresentava uma tolerância muita grande à dor. Sempre que caia ou se machucava, dificilmente chorava. Outra coisa que ele não tolerava eram flashes das máquinas fotográficas, até hoje não tolera!

Pra nossa pequena família, o ano de 2010 foi muito intenso! Fim do curso de Odontologia! Meu marido começou a trabalhar em outra cidade!

Enfim, muitas coisas aconteceram! Inclusive a infecção de ouvido que nos levou a procurar uma otorrinolaringologista, Dra. Adriana Leite.

E foi exatamente ai!! Que nossa batalha começou!img-20160812-wa00611

O segundo ano de vida do Henrique!

O segundo ano de vida do Henrique!

Quando fiquei grávida do Henrique trabalhava na Companhia Docas do Pará e na mesma época cursava odontologia na UFPA. Era tudo muito corrido estuda de 13 às 19 h e trabalhava no Porto de Belém de 19:30 às 4h da madrugada…imaginem a loucura!!!

Então engravidei e como já contei em post anterior o início da minha gravidez foi muito difícil, por conta do tão famigerado resultado da Ultrassom de Translucência nucal, então tive que trancar a faculdade e passar a trabalhar no Edifício Sede da companhia Docas, em um horário de gente normal, rsrsr…

Passei praticamente a metade da gravidez de benefício, pois fiquei muito fragilizada…

Enfim…o Henrique nasceu, fiquei de licença maternidade e depois férias e voltei a trabalhar na CDP, o primeiro ano de vida do Henrique passou de forma tranquila e comecei a pensar em retomar o curso de Odontologia…

E como o horário que eu trabalhava não daria pra conciliar com a faculdade, tive que fazer um concurso com carga horária menor, pensava que por mais que o salário fosse menor iria conseguir me formar em odontologia…E assim foi…

Em 2009, comecei a trabalhar na UEPA no período da manhã e estudava a tarde…

Onde quero chegar, contando tudo isso??????

Negligenciei o segundo ano de vida do Henrique, em prol de mim mesma…

Talvez por isso não percebi os primeiros sinais do autismo!

Minha irmã mais velha e também madrinha do Henrique, cuidou dele desde o nascimento por que eu precisava trabalhar…

A Lilian e seu esposo não são só padrinhos, são os anjos da guarda do Henrique, e nesse segundo ano de vida dele, praticamente foram eles que tomaram conta de tudo, eu só via o Henrique a noite.

Ele ainda não falava e quando queria alguma coisa usava a gente como instrumento, por exemplo, quando queria água puxava a gente pra perto da geladeira…já era um sinal! Mas eu não sabia!!!!

No dia do seu aniversário de 2 anos, chorou muito na hora do Parabéns, também era um sinal! Mas de novo, eu não percebi. ( Até hoje o Henrique não tolera o Parabéns. Comemoro seu aniversário todo ano, mas não cantamos parabéns, o seu aniversário de 2 anos, no dia 20 de setembro de 2009, foi a última vez. Mas tenho fé em Deus, que um dia cantaremos de novo! Por isso comemoro todo ano, e na hora do Parabéns, fazemos uma oração.)

Escola nova e psicologia.

Escola nova e psicologia.

O primeiro ano do Henrique na escola Montessoriana foi de descoberta, não conhecíamos bem o método da escola, estávamos com medo devido a rejeição da escola anterior.

Por outro lado, a escola também estava conhecendo o Henrique, suas peculiaridades, seu jeito de ser, nessa época ele estava com a mania de pegar no seio das pessoas (Meu pai!!! Q vergonha!!) e isso até se tornou motivo de piada entre as funcionárias e professoras da escola! E todos também ficavam impressionados com o fato dele saber ler e escrever perfeitamente! O Henrique lê e escreve sem erros, até hoje.Nessa épocas já tinha parado de colecionar escovas de dentes e sabonetes, e estava começando uma nova coleção: a de caixas de lápis de cores!

Meu príncipe sempre teve verdadeiro fascínio por cores, letras e números.

Foi um ano tranquilo! Ele participava bem das atividades escolares! Com exceção quando tinha algum evento na quadra com som alto e barulho e também quando tinha aniversário de algum coleguinha em sala. Desde o aniversário de 2 anos do Henrique, começamos a perceber que ele não suporta que cante Parabéns! ou bata palmas, por esse motivo, sempre que vamos a algum aniversário procuramos tirá-lo do ambiente no momento do Parabéns. E na escola não é diferente!

Mas nunca deixamos de ir à aniversários por causa disso, sempre rola um estresse ou alguma correria, mas já estamos acostumados…e ele também quando percebe que já vão cantar o Parabéns, dá um jeito de se afastar ou entrar no banheiro…rsrsr…ele também já tem suas estratégias…

Agora usamos a tática de já ir preparando o espírito dele pro evento, já vou falando: …filho tal dia, terá o aniversário de fulano, vai ter bolo, docinho, ….nós vamos, você tem que se comportar direitinho…! Uns dias antes já começo a falar…

Então, voltando à escola, não solicitaram facilitadora exclusiva no primeiro ano da escola.

Isso foi em 2012, Henrique tinha 4 anos, e nesse mesmo ano a Neuro pediatra indicou que ele começasse a fazer sessões de Psicologia também. E a agenda de meu amorzinho ficou lotada. Era escola pela manhã e a tarde ele se dividia entre sessões de TO, Fono, Psicologia e aulas de natação.

Como ele fazia as terapias todas por plano de saúde, foi muito difícil encontrar uma psicóloga que atendesse crianças da idade dele e que aceitasse o plano de saúde, e olha que ele tem dois. Mas enfim conseguimos…

Vou fazer um post pra falar sobre a importância da psicóloga, no tratamento do Henrique.

Bjinhos! Até o próximo post!